Alpha Omega Tecnologia

Empresas brasileiras lutam para transformar dados em insights

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

De acordo com a pesquisa, a maioria das organizações no país acredita que os dados são fundamentais para a tomada de decisões, mas apenas uma pequena porcentagem tem recursos para fazê-lo.

 

De acordo com pesquisas, a maioria das empresas brasileiras colocou os dados no centro dos processos de tomada de decisão, mas a maioria luta para usá-los para produzir insights valiosos de negócios.

De acordo com o estudo Data Paradox realizado pela Forrester Consulting e encomendado pela Dell com 4.000 executivos em 45 países, incluindo o Brasil, 73% dos entrevistados acreditam que os dados são essenciais para seus negócios, mas apenas 28% têm recursos para processá-los de forma adequada.

Os resultados da pesquisa sugerem que, ao invés de oferecer uma vantagem competitiva, a explosão no volume, velocidade e variedade de dados gerados criou uma série de desafios para as organizações brasileiras. De acordo com a pesquisa, isso se deve a uma combinação de barreiras, como falta de conhecimento e ferramentas adequadas, além de dificuldades de integração impostas por silos de TI e riscos associados à privacidade e segurança.

As empresas entrevistadas para o estudo foram divididas em quatro grupos de acordo com sua maturidade em termos de tecnologias / processos de dados e cultura / conhecimento. Os novatos em dados ficam sobrecarregados com o volume e a variedade de dados e precisam otimizar o conhecimento e a infraestrutura para lidar com eles. Ao mesmo tempo, os técnicos de dados estão prontos para transformar dados em insights, usando modelos de várias nuvens e serviços para processar dados no limite, mas precisam de melhorias culturais e de habilidades para avançar. Os entusiastas de dados já investem em conhecimento e cultura focados em dados, mas precisam melhorar a infraestrutura e os processos. Em contraste, os Data Champions podem transformar dados em percepções e ter uma infraestrutura de TI avançada para fazer isso, bem como uma cultura centrada em dados.

De acordo com a pesquisa, 23% das empresas pesquisadas no Brasil foram classificadas como Data Champions - quase o dobro da média mundial de 12%. Porém, a maioria (47%) ainda está no estágio de Iniciante, enquanto 18% se posicionam como Entusiastas e 12% como Técnicos. De forma mais ampla na América Latina, 52% das empresas são classificadas como Novatos, 19% são Entusiastas, 18% são Técnicos e 11% são Campeões.

Os desafios enfrentados pelas empresas brasileiras em relação aos dados citados na pesquisa incluem a coleta de dados mais rápida do que elas podem analisá-los e utilizá-los, citada por 76% dos pesquisados. Além disso, 74% dos entrevistados disseram que precisam constantemente de mais dados do que já está disponível.

Mais da metade (58%) das empresas brasileiras pesquisadas para a pesquisa da Dell afirmaram que armazenam uma quantidade significativa de dados em seus próprios data centers e não processam os dados no perímetro. Para 38% das empresas pesquisadas, os dados são divididos em silos e enfrentam obstáculos de integração de dados.

A maioria das organizações pesquisadas no Brasil (71%) afirmou que o conselho de sua organização não apóia ostensivamente o uso estratégico da análise de dados.

Apesar dos desafios que enfrentam atualmente, os pesquisadores observaram que a maioria das empresas brasileiras pesquisadas tem planos de melhorar suas práticas de gestão de dados. Cerca de 76% planejam implementar aprendizado de máquina para automatizar a detecção de anomalias de dados, enquanto 59% têm a intenção de migrar para um modelo de dados como serviço e 65% querem redesenhar seus ambientes para melhorar o processamento e o uso de dados dentro de um prazo de um a três anos.

 

Fonte: ZDNet

Cadastre seu email e fique por dentro do munda da tecnologia